Famoso industrial italiano afirma que Medjugorje lhe preencheu a alma

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

matteomarzotto

O famoso industrial italiano Matteo Marzotto

Impecável em seu paletó de lã, educado até quando pede a sua amada esposa que pegue os seus óculos. Uma calma e educação que esconde muita dor: “sou daqueles que tinha um grande vazio. Mesmo que não fosse um vazio material, as dificuldades vinham de todos os lugares. Não estava viciado (drogado) em uma substância química – mas estava drogado do mundo”.

Matteo, o senhor está sempre envolvido em causas sociais, qual foi o acontecimento que fez o senhor tomar consciência disso ?

“Conhecer Chiara Almirante foi um choque. A encontrei depois de uma série de acontecimentos e percebi isto era um pequeno milagre”

O que te aproximou do trabalho com pessoas drogadas ?

“Sou um deles. Eu tinha um grande vazio, este grande vazio não era necessariamente material. As dificuldades na vida vem de longe, estão em todos os lugares, e eu sou igual a estes nossos irmãos que tiveram problemas com a dependência. Não estou drogado de uma substância química mas estava drogado do mundo e em um certo momento Deus quer que te perdoar e te trazer de volta aos trilhos. Deus promove acontecimentos e a sua vida melhora muito”.

Qual o lugar que te fez questionar a sua vida ?

“Medjugorje. Foi no ano de 2011”.

Foi aquele o lugar que desencadeou a sua libertação ?

“Sim. Foram vários momentos e reflexões sobre tanto vazio e problemas”.

Quais os próximos passos no âmbito social ?

“Quero ajudar a comunidade Novo Horizonte, e me ocuparei a vida toda de uma fundação que cuida de uma doença genética, a fibrose cística que levou a minha irmã Annalisa. Procurar fazer algo pelos outros melhora a nossa vida enormemente, para mim é uma benção poder ajudar”.

Traduzido do italiano por Gabriel Paulino – fundador do Portal Medjugorje Brasil – http://www.medjugorjebrasil.com.br

Matéria original: http://www.ilmattino.it/napoli/cronaca/matteo_marzotto_avevo_un_grande_vuoto_drogato_mondo_non_dalle_sostanze-2068214.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *