IRMÃ LUCIA CONFIRMOU QUE APARIÇÕES DE NOSSA SENHORA EM MEDJUGORJE SÃO AUTÊNTICAS !!!

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

 

Vidente de Fátima, Ir. Lucia Confirma as  Aparições de Nossa Senhora de Medjugorje‏

irmaluciaconfirma

Enquanto o Vaticano terminou a comissão internacional investigando as aparições em curso em Medjugorje, sob a liderança do Cardeal Camillo Ruini a Santa Sé não deve ignorar um fato importante, mas pouco conhecido, sobre essas aparições marianas.
Elas foram confirmados como sendo autênticas pela principal vidente de Fátima, Irmã Lúcia dos Santos, que não só confirmou, mas também relatou ter aparições de Nossa Senhora de Medjugorje no convento.

De acordo com o próprio sobrinho da Irmã Lúcia, Padre Salinho – um padre salesiano que vive em Portugal – a Irmã Lúcia continuou recebendo visões da Virgem Maria muito tempo depois de 1917, e algumas destas aparições da Virgem informaram à a Irmã Lúcia do trabalho contínuo de Nossa Senhora em Medjugorje . Este relatório do Padre Salinho de foi documentado pela autora francesa, Irmã Emmanuel Maillard em seu livro “Medjugorje, Triunfo do Coração!” (Queenship, 2004), uma edição revisada do popular trabalho anterior da irmã Emmanuel, “Medjugorje: os anos 90”.
O Papa João Paulo II se encontrou com Irmã Emmanuel, recebeu uma cópia de seu livro anterior, e, portanto, esse conhecimento – entre a principal vidente de Fátima e as aparições em Medjugorje – pode não ter sido estranho para o Vaticano.
Esta é uma revelação muito importante, pois uma das coisas que a Igreja procura, ao estudar uma aparição é a coerência entre as aparições de Maria. Fátima e Medjugorje já tem uma imensa quantidade em comum; do milagre do sol dançante que foi gravado em cada local – uma vez em Fátima e várias vezes em Medjugorje – às referências ao Imaculado Coração de Maria na devoção de ambas Fátima e Medjugorje, até o programa espiritual de oração diária – especialmente do Rosário – Missa, jejum e penitência para a salvação dos pecadores em cada local; até as representações incrivelmente semelhantes de visões de vida após a morte, em particular do inferno, que foram dadas a ambos os videntes de Fátima e Medjugorje por suas aparições. A coerência é evidente. Agora há ainda um relatório feito por um padre católico e um membro da família de principal visionário de Fátima, de que a Irmã Lúcia mesmo teve aparições de Nossa Senhora falando sobre Seu trabalho em Medjugorje; e, portanto, a Irmã Lúcia supostamente confirmou as aparições de Medjugorje através de suas próprias revelações privadas da Virgem.
Esta revelação também coloca dúvidas em muitas teorias que os críticos de Medjugorje defenderam. Donal Anthony Foley, o autor britânico que – em seu livro, Entender Medjugorje – elogia as aparições de Fátima (quase literalmente) demonizando as aparições de Medjugorje, que retratam os dois locais de aparição como não tendo nada em comum. Bem, se os críticos acreditam na autenticidade das visões da Irmã Lúcia, então torna-se difícil duvidar que Nossa Senhora não está aparecendo em Medjugorje já que a Irmã Lúcia mesma confirmou esse fato, depois de ser informada por isso em sua experiência de aparição da Virgem Maria. Este relatório do sobrinho da Irmã Lúcia infelizmente, não foi amplamente divulgado. Mas isso mostra que o Papa João Paulo II não estava sozinho na convicção de que Medjugorje completa Fátima e que os dois locais tem a mesma fonte espiritual: a Mãe de Deus.
Curiosamente, a partir de recente livro de monsenhor Slawomir Oder sobre o Papa João Paulo II, Porque Ele é Um santo, recebemos a confirmação de que o Papa considerava Medjugorje o cumprimento de Fátima, explicando em 1984: “Medjugorje é a continuação de Fátima, é a conclusão de Fátima.”
Agora vemos que esta convicção do papa não era simplesmente uma opinião pessoal, pois a própria vidente de Fátima, Lúcia dos Santos, proclamou o mesmo, que a mesma Virgem que apareceu para ela em Fátima continuou aparecendo à ela no convento, e disse a Irmã Lúcia sobre o trabalho contínuo em Medjugorje – da própria Virgem Maria.
É digno de nota, estendendo a ligação a este respeito, que a Irmã Lúcia Papa João Paulo II mantiveram uma amizade ao longo da vida. Se quer saber se eles nunca discutiram juntos a presença de Nossa Senhora em Medjugorje, pois ambos tinham a convicção de que a Virgem de Fátima continuou seu trabalho na aldeia da Bósnia. Embora nunca saberemos com certeza, uma vez que ambos já faleceram, isso não seria uma impossibilidade, uma vez que João Paulo II proclamou que Medjugorje é a continuação e conclusão de Fátima em 1984, depois que se reuniu com a Irmã Lúcia apenas dois anos antes, quando o papa foi em Fátima em 13 de maio de 1982, para agradecer à Virgem por ter salvado sua vida a partir de uma tentativa de assassinato. Este foi o mesmo dia em que Nossa Senhora de Medjugorje disse aos videntes na Iugoslávia: “Seus inimigos tentaram matá-lo, mas eu o protegi.”
O que é interessante sobre experiências de Lúcia em relação à Nossa Senhora é o fato de que elas não terminaram enquanto ela era uma menina. É verdade que a última aparição nos campos Cova da Iria vizinha à Fátima, resultando no milagre do sol dança que foi testemunhado por um número estimado de 70.000 pessoas, terminou no dia 13 de outubro de 1917. No entanto, mesmo após a conclusão destas aparições, a Irmã Lúcia continuou a receber revelações privadas da Virgem Maria como freira em sua cela. A mesma Virgem Maria que veio a ela quando menina em Fátima continuou aparecendo a Lúcia adulta no convento. As aparições foram até bem tarde vida de Lucia, mesmo após a Madonna supostamente começou a aparecer em Medjugorje para seis jovens croatas em 1981.
Lucia dos Santos foi a única vidente restante de Fátima que viveu ao longo do século XX até o XXI. Pouco depois das aparições de Fátima aos três pastorinhos em 1917, duas das crianças, Jacinta e Francisco Marto – irmão e irmã – faleceram. Francisco morreu de pneumonia brônquica em 1919, enquanto Jacinta desenvolveu um caso grave de pleurisia e morreu em um hospital de Lisboa um ano depois. Francisco iria em dois meses ter onze anos e Jacinta em apenas um mês iria celebrar o seu décimo aniversário. Foi Lucia que viveu até a velhice.
Ela se tornou uma freira de clausura, fazendo os votos perpétuos em 03 de outubro de 1934 sob o nome de Irmã Maria das Dores no Instituto das Irmãs de Santa Doroteia no convento de Tuy, Espanha. Mais tarde Lucia iria regressar a Portugal e se tornar uma das Carmelitas Descalças em 31 de Maio de 1949, tomando o nome de Irmã Maria Lúcia de Jesus e do Coração Imaculado, no Carmelo de Santa Teresa, em Coimbra. Irmã Lúcia morreu no convento com a idade de 97 em 13 de fevereiro de 2005.

Traduzido para o português por Ehusson Chequer – tradutora do Portal Medjugorje Brasil – http://www.medjugorjebrasil.com.br

Fonte: http://www.mysticpost.com/fatima-visionary-sr-lucia-confirmed-apparitions-of-our-lady-of-medjugorje/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *