Medjugorje – O Sabor do Céu na Terra

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Medjugorje – O Sabor do  Céu na Terra

Por Anita B. Cugini

Dizer que eu estava va-ga-men-te consciente das aparições de Nossa Senhora em Medjugorje em 1981 é o mais perto da verdade. Uma prima viajou para lá nos primeiros anos, e voltou com histórias das muitas bênçãos que ela experimentou. Ela era a única pessoa que eu soubesse que realmente tinha estado lá.

Meu primeiro sussurro suave de Nossa Senhora, instando-me a vir, começou com a compra de um rosário sujo com contas de cristal comprado em um brechó por um dólar. O rosário parecia horrível, mas me inundou com lembranças do mesmo rosário que  uma freira a escola primária tinha me dado um dia. Minha tentativa de limpá-lo foi infrutífera.

Quando comecei a usá-lo, a corrente, o crucifixo e a medalha central começaram a ficar dourados. Perplexa quanto ao que isso poderia significar, consultei minha prima, Joan, que disse que esse fenômeno às vezes acontecia com os rosários dos peregrinos trazidos de Medjugorje … Seu conselho era “orar com ele” e ver o que acontece. Um ano mais tarde, enquanto ainda usava o rosário, meu primo me encorajou a escrever minha história e enviá-la ao jornalzinho Espírito de Medjugorje.

Pouco depois de apresentar a minha história, decidi acessar o site deles e aprender o que poderia sobre Medjugorje. Quando li  o “Guia do Visitante”, fiquei surpresa quando percebi que Nossa Senhora havia pedido que o aniversário fosse celebrado em 25 de junho – meu aniversário, e as aparições começaram em junho de 1981, ano em que nasceu nossa filha mais nova! Eu estudei cuidadosamente a imagem de Nossa Senhora no site do boletim, tentando memorizar seu vestido, véu e a posição de suas mãos e braços.

A partir de então, eu sabia que iria para Medjugorje. As razões continuaram aumentando: eu encontrei uma imagem pequena de Nossa Senhora de Medjugorje em um brechó, exatamente como a imagem no site. Então, eu perdi meu rosário amado com as correntes de ouro exatamente dois anos depois do dia em que eu o encontrei pela primeira vez, e da mesma maneira – enquanto estava em um brechó! Inicialmente fiquei triste com a sua perda, mas rapidamente percebi que era a maneira de Nossa Senhora dizer que essas contas, que acenderam a chama do meu desejo de vir a Medjugorje, seriam colocadas nas mãos de outro que precisasse de um impulso espiritual.

Comecei a perguntar a todos que eu conhecia se eles estariam interessados em ir a Medjugorje comigo. Eu disse a minha prima Joan que eu pagaria por sua viagem, se ela me acompanhasse. Ela continuava insistindo que ela estava “muito velha” para ir, e nenhuma quantidade de súplica de minha parte a mudaria de idéia. Em todos os lugares que eu fui, a resposta foi a mesma … ninguém estava interessado.

Joan me encorajou a orar e disse que tinha certeza de que eu faria a viagem no “tempo de Deus” e uma companheira de viagem viria junto. Ela estava certa. Cinco anos depois, depois de me mudar para outro município no meu estado, eu a encontrei.

Em 2012, meu marido e eu nos mudamos para uma comunidade de meia idade e a primeira coisa que eu fiz foi participar de um grupo semanal de reza do rosário. Quando conheci os membros, contei meu desejo de ir a Medjugorje. Para minha surpresa, um deles soltou: “Eu não posso acreditar que você acabou de dizer isso … minha sobrinha já esteve lá duas vezes e quer voltar, mas não consegue encontrar ninguém para ir com ela.” Minha jornada tinha começado.

Sharon, minha companheira de viagem insistiu que usássemos a mesma agência de viagens que ela usou em ambas as suas viagens anteriores cerca de 18 anos atrás e ficar na mesma pousada. Coloquei minha confiança em Deus e em Nossa Senhora e rezei para que eu tomasse a decisão certa.

Inicialmente, nós planejamos ir em maio, mas, por algum motivo, decidimos ir em junho, a tempo para o 33º aniversário das aparições – o meu 65º aniversário. Depois que eu enviei meu pagamento inicial, o tempo voou. Estranhamente, eu não sentia empolgação em fazer minha peregrinação … não parecia real … parecia mais um sonho.

Aí entrou o maligno. Durante seis meses antes da partida, seus ataques físicos e mentais foram implacáveis. Problemas familiares com filhos crescidos, incluindo dois com Lúpus, a tosse irritante do meu marido que cinco médicos e vários exames não conseguiam explicar, e os pensamentos da minha primeira viagem internacional começaram a espiral descendente da minha ansiedade. Eu duvidava de tudo. Seria a comida demasiado salgada, seria o leite pasteurizado … eu teria  diarréias ao  beber a água? Pequenas coisas ampliadas. As nossas acomodações seriam decentes e será que teria de dividir o banheiro com alguém? Eu estava por um fio.

O dia 19 de junho chegou mais perto, enquanto minhas dúvidas e ansiedade estavam fora de controle. No início de junho, eu estava a poucos centímetros de cancelamento. Eu não conseguia lidar com a crescente incerteza (alimentada pelo maligno) que eu sentia dentro de mim. Então ele “bateu-me com seu melhor tiro.” Três semanas antes da partida, eu tive o  pior caso de dermatite de contato em 60 anos! Meus braços e pernas estavam cheios de pústulas inflamadas e escorrendo, que começaram a migrar para meu  tronco. A incessante coceira era insuportável e o sono era impossível. Em pânico total, fui para o médico. Quando suas receitas não ajudaram, liguei para o escritório de dermatologia, em lágrimas, implorando por um horário, enquanto gemia: “Se eu subisse a um avião e me sentasse ao lado de alguém que parecia que eu, eu sairia correndo”.  Felizmente eles concordaram em me ver. Então, o primeiro de muitos milagres ocorreu … uma semana depois da partida, a dermatite se acalmou. Eu comprei calças e um top de manga longa para encobrir o resto, e fiquei inundada com uma sensação incrível de calma … Eu estava indo e tudo iria funcionar!

Assim que cheguei em Medjugorje, passei os três primeiros dias em lágrimas … lágrimas de alegria por causa de todas as coisas maravilhosas que começaram a se desenrolar. Na primeira manhã, às 4:45 da manhã, sentei-me na varanda escutando enquanto dois galos cantavam de um lado para outro, olhando  a cruz no monte Krizevac cintilando sob a luz do sol, e  vislumbrei a “Estrela da Manhã” … a última estrela a desaparecer do céu na madrugada.   … esta foi a primeira de muitas bênçãos da viagem. Dia após dia, bênçãos e graças caíram, eu continuava a soluçar … Eu não sou ninguém especial … eu merecia ver essas maravilhas? Eu vi o sol transformar-se em um sombra brilhante de turquesa, com ondulações ondulantes irradiando dele. Quando eu vi isso, eu não conseguia desviar o olhar, e não tinha problema em olhar para sua luz brilhante. Observei o líquido escorrer do joelho da estátua do Cristo Ressuscitado, como gotas de lágrimas escorrendo por uma face de bronze. Todas as noites, eu assistia a Missa Internacional, absorvendo a cacofonia de idiomar diferentes sendo usados para rezar o Rosário … Na igreja em Tihaljina, ajoelhei-me no chão de mármore, indo cada vez mais perto de Nossa Senhora . Enquanto eu olhava para aquele belo rosto, suas roupas se tornavam brancas brilhantes e a carne em seu rosto estava viva de cor, até o rubor de suas bochechas! O maligno me deixou sozinho quando cheguei a Medjugorje? Claro que não … a sua determinação de interromper a minha peregrinação foi impressionante. Duas de suas tentativas foram benignas! Como um presente especial para a prima que me levou a Medjugorje, comprei uma coroa para a sua imagem de Nossa Senhora de Fátima. Levei-a de volta ao meu quarto e coloquei-a em uma sacola com outros artigos religiosos que eu tinha comprado. Quando a  procurei na noite seguinte tinha desaparecido  … I literalmente demoli o quarto  tentando encontrar. Estava embalada em uma pequena caixa branca, inconfundível … simplesmente não estava lá. Obviamente, o mal estava furioso porque eu comprei isso, então ele a removeu para afirmar seu poder. Errado! Voltei no dia seguinte e comprei outra. Desta vez, não saiu da minha vista até que voltei para casa. Ele desencadeou seu próximo assalto na capela privada de Ivan. Nosso grupo foi convidado para sua aparição e fomos informados repetidamente para não contar a ninguém. A capela minúscula tinha 30 pessoas e este privilégio foi “só para convidados.” Nós entramos na capela, peregrinos italianos à direita e peregrinos ingleses à esquerda, e o rosário começou. Sentei-me no lado esquerdo da igreja, no final da segunda fila. No meio dos Mistérios Gloriosos, a aparição de Ivan começou . Eu podia ver seus lábios se movendo, mas não ouvi nenhum som.

Cerca de cinco minutos depois da aparição, a jovem sentada diretamente atrás de mim, soltou um som feroz de grito / rosnado que só posso descrever como desumano. Desde o filme dos anos 70,  O Exorcista, nunca ouvi um som assim. Ela continuou este agudo rangido entremeado de sibilar e cuspir, e eu soube mais tarde que ela pulou para cima de mim.  A Freira que liderava nossa peregrinação, levantou-se da primeira fila (usando duas bengalas), e caminhou até ela. Ela colocou os braços ao redor da mulher, que continuou a gritar, assobiar e soluçar. Ouvi a Irmã repetir uma e outra vez: “Você tem que soltá-la … você tem que soltá-la …” Quando me virei, vi o rosto contorcido da mulher enquanto segurava um grande crucifixo de madeira no peito. Escusado será dizer que toda a capela estava aterrorizada!

A aparição terminou e nosso guia perguntou a Ivan se ele estava ciente desse distúrbio. Ivan respondeu que não. Quando Nossa Senhora aparece, ele está em êxtase … ele a vê e ouve sozinha.

capelaivan2
Imagem que está na capela da casa do vidente Ivan em Medjugorje.

Uma vez lá fora, uma mulher do nosso grupo compartilhou o que ela percebeu ser a voz de Nossa Senhora  quando ela ajoelhou antes do Rosário começar. Ela claramente ouviu uma voz dizer: “Eu vou mostrar a todos vocês um sinal … não tenham medo.”

A Irmã falou com a companheira da mulher que revelou que esta mulher estava tendo a assistência de  um exorcista uma vez por semana havia mais de um ano. Quando a Irmã ouviu falar da voz interior, ela explicou que Maria e o diabo não podem existir no mesmo espaço … quando o diabo tentou romper a aparição saindo dessa mulher, ele foi frustrado por Maria e sua tentativa de controlar a aparição foi um fracasso sombrio! Um mistério final – ninguém conhecia essas mulheres, de onde elas vinham ou como elas entraram. Não estavam com nenhum dos grupos de peregrinos!

Dia após dia, milagres e bênçãos continuaram. Eu vi Vicka, toquei nela, e dei-lhe um rosário de corda que eu fiz. Eu também dei uma para Ivan. Subi ao Monte das Aparições e visitei o túmulo do Padre Slavko.

25 de junho amanheceu, e minha subida ao Monte Krizevac tinha finalmente chegado. Nosso guia disse que não era uma tarefa fácil, e se chovesse naquele dia, ou começasse a chover enquanto escalando, nós devíamos parar. A escalada, embora difícil em rochas secas, torna-se extremamente perigosa quando as pedras estão molhadas. Lesões graves são comuns.

O monte Krizevac estava superlotado … peregrinos de todo o mundo oravam enquanto esperavam para começar a escalada. Todos sabiam que fazer a escalada no Aniversário da Aparição era muito especial. Eu comecei a subir, bastão na mão, rezando a cada passo … “ que Nossa Senhora permita que eu faça isso e me proteja do mal” .

Na Oitava Estação (Jesus encontra as mulheres de Jerusalém) começou a chover. Meu coração afundou – eu não acreditei! Eu sabia … pedras molhadas, subida cancelada! Pedi um momento de descanso para ver o que aconteceria. Olhei para o céu, erguendo os braços e implorei a Maria para parar a chuva. Milagrosamente, parou!

Quando alcancei a gigantesca cruz branca que eu vi pela primeira vez brilhando à luz da manhã, louvei Nossa Rainha da Paz por me permitir fazer isso em meu 65º aniversário … Meu sonho que começou com um rosário de cristal encontrado em um brechó tornou-se um realidade … Medjugorje é o Sabor do Céu na Terra!

Nota do editor: Anita mora em North Wales, PA. Anita me disse:  “a comida era deliciosa, o leite era 2%, a água era potável, e tinham banheiros mais do que suficiente para todos! Nenhum dos meus medos se tornou realidade” .

Traduzido para o português por Ehusson Chequer – tradutora do Portal Medjugorje Brasil – http://www.medjugorjebrasil.com.br

Matéria original: http://www.spiritofmedjugorje.org/ArticleSeptember2014.php

 

1 comentário


  1. Pois, é! Há narrações de histórias de vidas muito interessantes, sérias, que sem aprumo literário ensinam muita coisa. O que eu lamento, é que haja, indiscutivelmente, muito materialismo e muita descrença nestes assuntos tão belos, que dão uma razão de viver. Suponho, que com tanto comentário, com profundo gosto e responsabilidade que tenho feito para o site de meu amigo, Gabriel Paulino, já daria para um bom opúsculo! Muito concreto, sem preâmbulos, o que se necessita, tem de se continuar a revelar o que ali existe, cuja Humanidade
    jamais esperou vir a saber, quer por leitura, quer visualmente.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *