Nossa Senhora salvou nossas vidas e nossa família

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

patricknancylatta
Patrick e Nancy Latta em Medjugorje

Patrick e Nancy, o que podem dizer sobre a vossa vida antes de Medjugorje ?

 Patrick: A minha vida antes de Medjugorje era completamente diferente. Era um comerciante de automóveis. Tinha muitos subordinados e por toda a vida tinha vendido carros. No trabalho tive muito sucesso e me tornei muito rico. Na minha vida não conhecia Deus. De fato nos negócios Deus não está, ou para melhor dizer, as duas coisas não se conciliam. Antes de conhecer Medjugorje não entrava em uma igreja há anos. A minha vida era um desastre, com casamentos e divórcios. Tenho quatro filhos, que antes nunca tinham estado na igreja.

A mudança da minha vida começou no dia em que li as mensagens de Medjugorje, enviadas ao irmão de minha esposa Nancy. A primeira mensagem que li naquele tempo foi: ”Queridos filhos, os convido pela última vez a conversão”. Aquelas palavras me golpearam profundamente e tiveram sobre mim o efeito de um choque.

A segunda mensagem que li era a seguinte: “Queridos filhos, venho para dizer-vos que Deus existe”. Me inquietei com minha mulher Nancy porque não me tinha dito antes que aquelas mensagens eram verdadeiras e que em um lugar distante dos Estados Unidos, aparecia Nossa Senhora. Continuei a ler as mensagens no livro. Depois de ler todas as mensagens, vi a minha vida como em um filme. Vi todos os meus pecados. Comecei a refletir muito sobre a primeira e a segunda mensagem que tinha lido. Naquela noite senti que as duas mensagens eram dirigidas diretamente a mim. Pensei a noite toda como uma criança. Compreendi que as mensagens eram verdadeiras e acreditei nelas.

Este foi o início de minha conversão a Deus. Daquele momento acolhi as mensagens e comecei a vive-las, não somente lê-las, e as viver exatamente e literalmente como deseja Nossa Senhora. Não era fácil, mas não cedi porque daquele dia e diante na minha família tudo começou a mudar. Um dos meus filhos era drogado. O segundo era jogador de rugby e era alcoólatra. Minha filha tinha sido casada e tinha se divorciado duas vezes antes de completar 24 anos. O quarto filho, um rapaz, não sabia nem onde morava. Esta era a minha vida antes de conhecer as mensagens de Medjugorje.

Quando minha esposa e eu começamos a ir regularmente à Missa, a confessar, a fazer a comunhão e a recitar todos os dias o rosário, tudo começou a mudar. Mas a mudança maior provei eu mesmo. Nunca tinha rezado antes na minha vida o rosário, nem sabia como recitá-lo. E de repente comecei a viver tudo isto. Em uma mensagem Nossa Senhora disse que a oração opera milagres na nossa família. Assim por meio da oração do Rosário e de uma vida conforme as mensagens, tudo mudou nas nossas vidas. O nosso filho mais jovem, que era drogado, se libertou das drogas. O segundo filho que era alcoólatra abandonou completamente o álcool. Deixou de jogar rugby e se tornou bombeiro. Também ele começou uma vida totalmente nova. Nossa filha, depois de dois divórcios, casou-se com um homem maravilhoso que escreve músicas para Jesus. Me entristece o fato de ela não ser casada na igreja, mas não é sua culpa, mas sim minha. Quando agora olho para trás, vejo que tudo se iniciou no dia em que comecei a rezar como um pai. A maior mudança veio a mim e a minha mulher. Antes de tudo, nos casamos na igreja e o nosso matrimônio se tornou maravilhoso. A palavra divórcio foi-se embora, não tenho mais necessidade de ti, não existe mais. Porque quando o casal reza junto, não se pode mais pronunciar esta palavra. No sacramento do matrimônio Nossa Senhora nos mostrou um amor quem não sabíamos nem mesmo existir.

Nossa Senhora diz a todos nós que devemos nos voltar para Seu Filho. Eu era daqueles que tinham mais de distanciado de Seu Filho. Em todos os meus matrimônios tinha vivido sem oração e sem Deus. Em cada matrimonio chegava com o meu helicóptero, como uma pessoa rica. Era casado somente no civil e tudo terminava ali.

Como prosseguiu em seu caminho de conversão ?

Vivendo segundo as mensagens, vi os seus frutos na minha vida e na vida da minha família. Não posso negá-lo. Este fato está presente em mim a cada dia e me estimulava sempre mais a vir aqui a Medjugorje para encontrar-me com Nossa Senhora que me chamava continuamente. Por isto decidi abandonar tudo e vir. Vendi tudo o que tinha no Canadá e vim a Medjugorje em 1993, no período da guerra. Nunca tinha estado em Medjugorje, não conhecia este lugar. Não sabia nem mesmo que trabalho faria, confiei simplesmente em Nossa Senhora e em Deus a fim de que me guiassem. Nancy me dizia frequentemente: “Porque quer ir a Medjugorje, que não sabe nem mesmo onde fica ?” Mas permanecia obstinado e respondia: “Nossa Senhora vive em Medjugorje e eu desejo viver próximo a Ela”. Apaixonei-me por Nossa Senhora e não tem nada que não faria por Ela. Tudo o que vocês vêem aqui é construído somente para Nossa Senhora, não para mim. Considere que nós vivemos aqui onde estamos sentados agora. Nos bastam estes 20m2. Todo o resto que vê aqui não nos ocorre. Permanecerá aqui, se Deus o conceder, também depois da nossa morte, porque é um dom de Nossa Senhora que nos trouxe aqui. Tudo isto é uma comemoração por Nossa Senhora, um agradecimento da parte daqueles pecadores que de outro modo terminariam no inferno. Nossa Senhora salvou a minha vida e a da minha família. Nos salvou do álcool, das drogas e do divórcio. Tudo isto não existe mais na minha vida porque Nossa Senhora disse que através do Rosário aconteceriam milagres. Começamos a rezar e vimos com nossos próprios olhos os frutos da oração. Os filhos não se tornaram perfeitos, mas são mil vezes melhores que no início. Estou convencido que Nossa Senhora fez isto por nós,  por mim e minha esposa, por nossa família. E tudo o que Nossa Senhora me deu desejo restituir a Deus e a Ela. A nossa experiência é que tudo o que couber da mãe igreja, qualquer comunidade que surgir, servirá para a renovação dos sacerdotes, das freiras e dos jovens que desejarem doar tudo a Deus. Por todos os anos, centenas de jovens nos visitam e param entre nós. Por isto somos gratos a Nossa Senhora e a Deus, porque ali podemos servir por meio de todas as pessoas que nos são enviadas. Aquilo que vêem que doamos a Nossa Senhora por meio do Santíssimo Coração de Jesus.

Não é por acaso que vocês tenham ficado no meio entre a colina das aparições e a colina da cruz. Vocês o tinham programado ?

Também nós estamos surpresos que tudo tenha tido início aqui. O atribuímos a Nossa Senhora porque sabemos que Ela nos guia. Todos os passos são combinados assim como quis Nossa Senhora, não nós. Não procuramos engenheiros ou construtores por licitação. Não, as pessoas vieram espontaneamente a dizer-nos: “Sou arquiteto e vim ajudar a vocês”. Cada pessoa que trabalhou aqui deu sua contribuição verdadeiramente impelida e dada por Nossa Senhora. Também todos os operários que trabalharam aqui, construíram a sua própria vida porque aquilo que fizemos o fizemos por amor a Nossa Senhora. Por meio do trabalho me mudei completamente. Tudo aquilo que é construído aqui provem do dinheiro que guardamos nos trabalhos e o que vendemos no Canadá. Desejei verdadeiramente que fosse o meu presente a Nossa Senhora aqui na terra. Nossa Senhora me guiou pelo caminho correto.

Quando você veio a Medjugorje pela primeira vez, ficou surpreso de ver a paisagem na qual Nossa Senhora aparece ? Pedras, calor excessivo, um lugar solitário…

Não sabia o que me aguardava aqui. Viemos no período da guerra de 1993. Colaborei em muitos projetos humanitários. Me ocupei de sustentar e estive em muitos escritórios paroquiais na Bósnia e na Herzegóvina. Não tinha ainda procurado um terreno para comprar, todavia um homem veio até mim e me disse que tinha um terreno e me perguntou se eu queria comprá-lo. Não perguntei ou procurei nada, todos vieram até mim e me perguntaram se precisava de algo. Ao inicio pensava de começar somente com um pequeno edifício, mas ao fim se tornou algo muito grande. Um dia que encontramos padre Jozo e os dissemos que era muito grande para nós, padre Jozo sorriu e me disse: “Patrick, não tenha medo. Um dia não será grande o bastante”. Tudo isto que consegui não é importante para mim pessoalmente. Para mim é muito mais importante ver na minha família os milagres que vieram por meio de Nossa Senhora e de Deus. Agradeço a Deus sobretudo por nosso filho mais novo, que trabalha em Innsbruck, na Áustria, próximo as irmãs de Dom Bosco. Escreveu um livro com o título: “O meu pai”. Para mim isto é um milagre muito grande, porque para ele não era nem mesmo um pai. Ao contrário, ele é um bom pai para os seus filhos e no livro escreve como deve ser um pai. Este livro sobre como deve ser um pai não o escreveu somente para os seus filhos, mas também para os seus genitores.

O senhor era um grande amigo de padre Slavko. Era o seu confessor particular. Pode contar alguma coisa dele ? 

Para mim é sempre difícil falar de padre Slavko porque era o nosso melhor amigo. Antes de começar este projeto, pedi conselho a padre Slavko sobre esta iniciativa e mostrei-lhe os primeiros projetos. Então padre Slavko me disse:”Começa e não te farão distruir, qualquer coisa acontece!”. Cada vez que tinha um pouco de tempo, padre Slavko vinha ver como estava se encaminhando o projeto. Admirou-se que tenhamos construído tudo de pedra, porque as pedras o agradavam muitíssimo. Em 24 de novembro de 2000, sexta-feira, estávamos como sempre com ele fazendo a via sacra. Era um dia normal, com um pouco de chuva e lama. Terminamos a via sacra e chegamos ao topo do monte Krizevac. Ficamos um pouco em oração. Vi padre Slavko passar em minha frente e iniciar lentamente a descida. Depois de pouco tempo ouvi Rita, a secretária que gritava: “Patrick, Patrick, Patrick, corra!”. Enquanto descia correndo, vi Rita ao lado de padre Slavko que estava sentado na terra. Pensei comigo: “Porque padre Slavko esta sentado sobre a pedra ?” Quando me aproximei vi que tinha dificuldade de respirar. Coloquei rapidamente um manto e o coloquei na terra a fim de que não ficasse sentado sobre a pedra. Vi que tinha parado de respirar e comecei a fazer-lhe a respiração artificial. Tomei consciência que seu coração tinha parado de bater. Praticamente tinha morrido em meus braços. Me lembro que tinha um médico na colina. Chegou, colocou a mão no seu peito e disse: “morto”. Aconteceu tudo rapidamente, passaram-se apenas poucos segundos. De algum modo extraordinário havia fechado os olhos. Nós o amávamos muito e não podia imaginar o quanto era difícil levá-lo para baixo da colina morto. O nosso melhor amigo e confessor, com o qual tinha falado fazia apenas poucos minutos. Nancy correu ao escritório paroquial e comunicou aos sacerdotes que padre Slavko tinha morrido. Quando trouxemos padre Slavko para baixo, chegou uma ambulância e o colocamos em cima de uma mesa. Permaneci ao lado de padre Slavko até meia-noite e foi o dia mais triste de minha vida. Naquele 24 de novembro, todos ficaram chocados quando ouviram a triste notícia da morte de padre Slavko. A vidente Marija, durante a aparição, perguntou a Nossa Senhora o que deveríamos fazer. Nossa Senhora apenas disse:”Continuem avante!”. No dia seguinte, 25 de novembro de 2000, chegou a mensagem: “Queridos filhinhos, me alegro com vocês e desejo dizer-vos que seu irmão Slavko nasceu para o céu e que intercede por vocês”. Foi para todos nós uma consolação porque sabíamos que agora padre Slavko estava perto de Deus. Difícil perder um grande amigo. Dele podemos aprender que coisa é a santidade. Tinha um bom caráter e pensava sempre de modo positivo. Amava a vida e a alegria. Estou contente de que esteja no Céu, mas aqui nos faz muita falta.

Agora que já está aqui em Medjugorje e que já mora fazem 13 anos nesta paróquia. Para concluir farei uma última pergunta: que propósito o senhor tem nesta vida ?

O meu propósito nesta vida é testemunhar as mensagens de Nossa Senhora e tudo aquilo que Ela fez na nossa vida, a fim de que possamos ver e compreender que tudo isto é obra de Nossa Senhora e de Deus. Sei bem que Nossa Senhora não vem por aqueles que seguem a Sua estrada, mas para aqueles que eram como eu era a um tempo. Nossa Senhora vem aqui para aqueles que estão sem esperança, sem fé e sem amor.

Por isto, para nós, membros desta paróquia, nos deixou esta tarefa: “Amem todos aqueles que Vos mando, todos aqueles que vem aqui, porque muitos deles estão longe do Senhor”. Uma Mãe afetuosa salvou a minha vida. Para concluir desejo dizer somente: Obrigado Mãe!

Trecho retirado da revista Medjugorje – Un invito alla preghiera – número 84 – 3º trimestre de 2007.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *