PAPA FRANCISCO E A NOSSA SENHORA “CHEFE DOS CORREIOS E TELÉGRAFOS”

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

padreperrela
Padre Salvatore Maria Perrella, presidente da Pontificia FaculdadeTeologica “Marianum” de Roma (Mazzarella)

Padre Perrella: Medjugorje, porque o Papa não acredita na “Nossa Senhora carteira”

Giacomo Gambassi – 18 de maio de 2017

Fala um dos membros da Comissão de Investigação sobre Medjugorje, padre Perrella: “Acreditável as primeiras aparições. O Papa deseja preservar a pureza da devoção mariana”.

“Aquilo que está no coração de Papa Francisco é preservar a pureza da devoção mariana”. Padre Salvatore Maria Perrella, presidente da Faculdade Pontifícia Teológica “MARIANUM” de Roma, foi um dos dezessete membros da Comissão Internacional de investigação sobre Medjugorje instituída em 2010 por Bento XVI. As palavras do Papa rodaram o mundo sobre as presumidas aparições marianas que desde 1981 seis crianças (hoje adultas) sustentam ter. “Francisco não se esconde e não improvisa. Se aquilo que afirmou teve uma vasta repercussão – explicou o sacerdote da ordem dos servos de Maria, docente em dogmática e mariologia – é para que aqueles que tem ouvidos para entender entendam”.

O religioso fez uma promessa: “O Papa tomou para si qualquer decisão sobre Medjugorje”. E em suas mãos foi confiado o relatório da Comissão presidida pelo Cardeal Camillo Ruini que concluiu os seus trabalhos em janeiro de 2014. ” A Comissão – esclarece Perrella – foi chamada a dar um juízo não definitivo incluindo uma validação teológica sobre a veracidade ou não do “fenômeno” Medjugorje e propor indicações pastorais.

O Papa, falando com os jornalistas, explicou que a Comissão separou o “caso” em dois pedaços: a primeira parte que diz respeito às sete aparições iniciais, definidas como o núcleo fundador, que parecem verdadeiras.

A outra parte, a seguinte das aparições, que continua ainda, deixou perplexa a Comissão. Sobre este ponto Bergoglio fez referência à “Nossa Senhora chefe dos correios e telégrafos que todos os dias envia uma mensagem”.

O que quis dizer o Pontífice?

“É um fato de que a a Virgem é portadora de mensagens do Céu, ou seja, de Deus. Basta ler o Evangelho quando Ela disse: FAÇAM TUDO O QUE ELE VOS DISSER”. Todavia o Papa é cético sobre o fato que a assim conhecida como “Nossa Senhora de Medjugorje” mande mensagens em um fluxo contínuo, fala muito, apareça em horários pré-estabelecidos. De resto as aparições não são nunca para glória de Maria, mas de Deus, pelas maravilhas que fez na Virgem. Maravilhas que ele faz até hoje, enviando Nossa Senhora para que nos lembre a todos nós que a Mão do Senhor é paterna e benéfica e que a Palavra de Deus seja acolhida e testemunhada. Isto representa o núcleo da discussão. As polêmicas fazem parte somente do disse-me-disse”

A propósito das primeiras aparições Francisco enfatizou que ainda podem ser investigadas. “O Papa repetiu muitas vezes que a Comissão Ruini fez um trabalho muito bom. Porém os fatos são tão complexos e cheios de curiosidades que o Pontífice é livre para organizar uma posterior investigação. Recordo, como fez de maneira clara ao retornar de Portugal que ao “fenômeno Medjugorje está ligada uma grande devoção popular que trouxe também numerosas conversões. Existe a necessidade de preservar os fiéis da banalização, da superficialidade e da fofoca. Nesta ótica foi criada a missão do enviado especial do Papa, arcebispo Henryk Hoser. Trata-se de uma pesquisa avançada da Comissão que graças ao gênio pastoral do Papa foi concretizada. Francisco pretende proteger em Medjugorje o habitat e o modo de oração que deve ser o mais cristalino possível”.

Padre Perrella relembra o trabalho da Comissão Vaticana: “Nós vasculhamos tudo aquilo que se podíamos segundo as indicações de Bento XVI e da Congregação para a Doutrina da Fé, levando em conta as normas atuais sobre o discernimento das presumidas revelações”.

Sobre a vida dos seis “videntes” padre Perrella responde: “as aparições são independentes ao estado de graça que a pessoa tenha – explica o mariólogo Perrella – também Jesus não escolheu os seus apóstolos entre os santos. Portanto a Comissão analisou a maior ou menor credibilidade dos testemunhos daqueles que recebem as visões”.

Mas quando virá um pronunciamento oficial ?

“É inegável – conclui Perrella – que o Papa acelerou o processo mesmo sendo consciente de que não deva correr muito. Sobre tudo o que veio à tona é necessário pensar e rezar. As aparições são auxílio à fé. Se o povo – e são milhões de pessoas – vão até Medjugorje e não viverem um clima de encontro com o Senhor, então a Igreja é obrigada a intervir”.

Traduzido do italiano por Gabriel Paulino – www.medjugorjebrasil.com.br

Matéria original: https://www.avvenire.it/chiesa/pagine/medjugorje-papa-madonna-postina?utm_content=buffer14f02&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *