Medjugorje: Vaticano recomendará decisões “severas mas positivas” ao Papa Francisco

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

freimarinko1
Segundo diversas fontes, o pároco de Medjugorje, frei Marinko Sakota pediu pessoalmente a cada vidente que deixassem as aparições públicas e testemunhos aos peregrinos.

Os que acreditam que a Santíssima Virgem está aparecendo em Medjugorje podem achar a mensagem de 25 de agosto de 1997 tristemente profética:
Queridos filhos, agora vocês não compreendem esta graça, mas logo virá o tempo quando vocês irão lamentar por estas mensagens. E por isso, filhinhos, vivam todas as palavras que eu vos dei neste tempo de graça.”  Exatamente 18 anos mais tarde, a mensagem do mesmo mês, 25 agosto de 2015, pode muito bem ser a última mensagem distribuída pela paróquia pois soubemos no escritório de informações da paróquia de São Tiago,  que não irão mais publicar as mensagens a partir de setembro. Na última mensagem de 25 de agosto Nossa Senhora mencionou um “momento de tribulação” e encerrou prometendo: “Eu intercedo por vocês e eu amo vocês, filhinhos, com um amor infinito. Obrigada por terem respondido ao meu chamado.
Se as mensagens podem receber autorização para serem distribuídas por outros meios não oficiais, não sabemos ainda.
O padre Marinko Sakota, pároco de São Tiago, em Medjugorje, visitou os videntes em suas casas logo após o festival da juventude, exceto Vicka que
estava no hospital, e discutiu com eles individualmente para se prepararem para não ter qualquer atividade pública em partilhar os fenômenos através de
aparições públicas e dando testemunhos. Tenham certeza de que não há meio de comunicação que tenha em  mãos o ‘Dossiê Ruini».  A Comissão escondeu,  com êxito,  o processo concluído pelo cardeal Ruini como segredo total.
Nossas fontes nos informam que, embora a comissão tenha sido formada por uma equipe de 20, eles formaram subcomitês.  Um que apresentou um
argumento positivo e um para apresentar um argumento negativo, semelhante ao processo de canonização de um santo, onde existem defensores da santidade, e os ‘advogados do diabo’.
Um monte de ‘vazamentos’  vem através daqueles que estão ligados aos subcomitês, por vezes, dando uma postura tendenciosa. O próprio relatório da comissão não é uma decisão. A decisão será tomada pelo Papa Francisco de acordo com a recomendação do cardeal Muller, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, depois de analisar as conclusões da comissão.

camilloruini3
Presidente da Comissão Vaticana de Investigação sobre Medjugorje – Cardeal Camillo Ruini.

Fontes em contato com o Vaticano e a comissão disseram-nos que a comissão revisou pontos positivos e negativos e um pronunciamento “sério, mas positivo” foi  recomendado ao Papa Francisco. Significado positivo é que o  Vaticano reconhece o bem provindo de Medjugorje e permitirá que as peregrinações possam continuar, mas sério porque desejam acalmar qualquer campanha publicitária relacionada com os fenômenos e manter o foco na oração e não nos videntes ou aparições. Reiteramos aqui que o Papa Francisco pode nem mesmo querer ir em frente com esta recomendação e pode decidir algo de sua própria vontade.
No entanto, se Sua Santidade for adiante, possivelmente ambos os lados do argumento não vão estar totalmente satisfeitos e ambos os lados serão de alguma forma ligeiramente confrontados, pois a Comissão, por um lado não encontrou nenhuma evidência de que os videntes estão fingindo as aparições, reconheceu inúmeras conversões e informou ao Papa Francisco que estão “abertos à possibilidade da Santíssima Virgem estar aparecendo” de uma maneira que eles reconhecem como sendo sem precedentes na História da Igreja, mas também eles estão apontando várias “incertezas”, tais como os videntes dirigindo hotéis e o período das aparições ainda em curso as torna de fato inconclusivas. Estas incertezas os levou a sugerir restrições em termos de proteção a serem feitas em relação aos videntes e ao público, e uma melhor orientação espiritual para os videntes. Assim, lançando luz sobre o comentário do Cardeal Pulic (membro da Comissão Ruini) que disse que
uma “conclusão justa” foi tomada.
O Vaticano não permite que um lugar de oração possa ser declarado um santuário até 30 anos de atividade, e o Papa Bento XVI apropriadamente formou a comissão após 29 anos de atividade contínua em Medjugorje para ver se a) a Paróquia poderia ser elevado a um status de Santuário e b) um esclarecimento poderia ser dado sobre o Fenômeno Medjugorje.
A comissão identificou duas eras para Medjugorje, a era inicial dos primeiros 6 anos da aparição que provou ser muito positivo para Medjugorje, com cientistas
e médicos que forneceram comprovação declarando à  Comissão, que é “extremamente provável que os videntes estão tendo uma experiência sobrenatural”. No entanto, os últimos 20 anos alegadamente apresentaram mais variáveis ​​e dificuldades para estabelecer uma conclusão positiva.
Outra fonte nos informa que o padre Federico Lombardi, porta-voz papal, diz que Medjugorje era melhor no tempo da ‘Era Slavko’, quando os videntes
estavam sob a orientação vigilante do falecido padre Slavko, que morreu em 24 de novembro de 2000, e o período após indica que os videntes estão em
necessidade de melhor orientação e o Vaticano tomará medidas para implementar a assistência.
Também soubemos que a Comissão Ruini não se opõe a Medjugorje e não irá declarar “que está estabelecido que não há nada sobrenatural”, mas  provavelmente irá manter o status de “não há nada sobrenatural”.
Houve mesmo uma conversa de considerar a possibilidade de declarar que nos primeiros anos constava sobrenaturalidade, e fazendo com que os fenômenos restantes permanecessem privados e qualquer informação proveniente da aparição apenas ser transmitida pelo Vaticano. No entanto as  diretrizes da Igreja que a comissão está a seguir, informam que a Igreja deve “nunca se sentir compelida a apressar uma decisão sobre revelações privadas.”
Irmã Lúcia de Fátima recebeu  um segredo que deveria ser publicado  em 1960, e continuou a ter aparições em seu claustro até a sua morte. No entanto
as suas aparições deveriam permanecer privadas, e o Vaticano restringiu o segredo de ser liberado até o ano de 2000, apesar do Vaticano aprovar suas aparições iniciais.
Em última análise, as nossas fontes não confirmaram a nós ao certo qual status de Medjugorje se recomendará declarar.
No entanto, ninguém – nem mesmo a comissão propriamente dita – é capaz de dizer com certeza o que vai acontecer, porque isso vai depender de duas
coisas: a reunião com os cardeais e bispos que discutirão as medidas a tomar e, acima de tudo, a decisão final do Papa Francisco. O próprio cardeal Ruini
não sabe o resultado final e disse que “agora a minha parte nesta missão está concluída – agora é com o  papa Francisco, vamos ver o que ele faz”
Portanto, se o Cardeal Ruini, chefe da Comissão de Medjugorje, está esperando para ver o que o Papa Francis vai fazer, não há nenhum sentido em se confiar em qualquer vazamento de mídia para se saber a conclusão final.
O Cardeal Schonborn que está muito próximo das aparições e tem a intenção de receber a vidente Marija Pavlovic em sua Catedral este 29 de setembro de 2015,
estará presente na reunião.
Nós, portanto, incentivamos ainda mais orações  pela decisão que o Papa Francisco tomará.  O Papa Francisco pode aprovar a recomendação do cardeal Muller, instruir ajustes, pedir mais tempo e discussão, ou emitir um Motu Proprio” (decisão expedida pelo Papa).
Conclui-se, mostrando o processo que a conclusão deve tomar:
1.  A Comissão do Vaticano faz um Dossiê Medjugorje e apresenta ao Cardeal Muller.
2. Cardeal Muller analisa o dossiê e escreve uma recomendação de medida para o papa Francisco.
3. Uma reunião  é realizada com outros cardeais e bispos para avaliar esta recomendação.
4. O Papa Francisco emite a decisão final: instrui a Comissão em Defesa da Fé a  declará-la à Igreja / emite ele mesmo um  Motu Proprio / ou
solicita mais tempo para analisar.

Informou o National Medjugorje Movement: http://www.nationalmedjugorjemovement.com/news/vatican-reccomends-severe-but-positive-decision-to-pope-francis/

Traduzido para o português por Ehusson Chequer

3 Comentários


  1. Pelos frutos se conhece a árvore. Quanta cura, tanta conversão, quanto bem as mensagens da nossa amada Gospa. Como duvidar um minuto sequer das aparições, da presença da nossa Mãe do céu clamando, pedindo , implorando por nossa conversão, por nossas orações. Existe algum mal nisso tudo? Esses são os frutos de Medjugorje.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *