Cura instantânea de tumor cerebral em Medjugorje

Compartilhe!

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

cerebroMe chamo Emanuela N.G. e procurarei contar brevemente a minha história, esperando que possa ser útil a comissão que se reunirá para avaliar Medjugorje. Estou casada a 35 anos e tenho dois filhos: um de 5 anos e meio e outro de 14 meses e sou médica.

Há cerca de um ano fui operada de astrocitoma, manifestada de repente no lobo temporal direito e depois fui submetida a um ciclo de radioterapia e a um mês de telecobaltoterapia na máxima dosagem. Ao mesmo tempo tomava 8mg de decadron ao dia e na metade do tratamento tive sarampo. Terminada a cobaltoterapia suspendi a cortisona bruscamente, com algumas consequências. Para evitar crises epiléticas por causa da cicatriz no lobo temporal, comecei uma terapia anticonvulsão. Em outrubro fiz a primeira bateria de exames: tudo bem, exceto por uma coisa: mesmo seguindo as terapias prescritas, tinha cerca de 15 crises diárias de epilepsia. Tegretol e Gardenal e, aliás, em novembro eu não tive uma única crise também encontrava-me sob estresse físico e emocional, mesmo em hiperventilação forçada. Mas, infelizmente, eu estava esperando por uma surpresa desagradável. Sem crises e com sinais neurológicos modestos para a próxima bateria de exames no final de fevereiro de 1985 eu tive uma grande recaída que o professor Geuna considerou inoperável. Mais uma vez eu senti que agora não era o momento de se render. Imediatamente, de Pavia, mantendo-se a mesma opinião de diagnóstico, foi decidido que eu deveria fazer um ciclo CCNU (5 cápsulas – intervalos de 8 semanas, outros 5 cápsulas), em seguida, um novo controle até chegar a uma possível intervenção. Eu fiz como me foi dito. Enquanto a minha família também foi abordada no estrangeiro, para parecer, o envio de toda a documentação, aqui nasceu um desejo muito forte de ir a Medjugorje. E assim, decidi viajar para Medjugorje, e veio a primeira boa notícia dos Estados Unidos (do Minnesota) o prof. LEIS escreve que esta poderia ser uma necrose de radiação tarde devido ao cobalto. De Paris prof. ISRAEL levanta as mesmas dúvidas e aconselha ressonância magnética nuclear para fazer um diagnóstico diferencial. Enquanto isso eu vou a Medjugorje e assisto a aparição de Nossa Senhora na casa de Vicka, e uma descarga percorre minha espinha. Enquanto minha cabeça de médica diz-me que não é possível, é como se uma força tinha tomado conta de mim naquele momento; no dia seguinte eu subi no topo da Montanha da Cruz (Krizevac) em 33 minutos, enquanto que nos últimos meses fazia um grande esforço para subir até mesmo diferenças modestas de altura. Na saída no avião para Medjugorje eu tinha uma grande dor de cabeça devido ao edema, mas voltando de avião não sinto nada, é como se minha cabeça estivesse mais leve, curada.

Mas estamos lá agora muitas outras pequenas coisas: Eu estou bem, eu não tenho convulsões epiléticas, não tenho sinais neurológicos e levo uma vida perfeitamente normal; a única mudança, é que entrou profundamente em meu coração uma fé autêntica, ingênua, que tinha quando eu era criança. Aquele Deus no qual eu acreditava, mas sentia muito longe de nós, agora ele vive em mim e peço a Ele através de Sua Mãe Santíssima todos os dias com Santo Rosário e estou certa de que em julho  não mais haverá mais sombras em meus exames mesmo que pequenas.

Traduzido do italiano por Gabriel Paulino – Fundador do Portal Medjugorje Brasil – http://www.medjugorjebrasil.com.br

Matéria original: http://medjugorjetuttiigiorni.blogspot.com.br/2015/01/un-caso-di-guarigione-da-tumore.html?m=1

Tipos de tumores cerebrais: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/tumor-cerebral

 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *