STEEVE DALLAIR: “Medjugorje foi para mim uma segunda vida. Eu renasci e a minha fé também.”

Compartilhe!

Tempo de leitura: 4 minutos

A estação da ressurreição no final da Via Sacra, em frente à cruz do Krizevac em Medjugorje.

A FORÇA DA CRUZ – Eco de Medjugorje número 76

Já na idade de 14 anos tinha começado a beber e a drogar-me. Como não tinha muito dinheiro para tudo isto, comecei a roubar. Aos 19 anos compreendi que tudo isto não se enquadrava com aquilo que os meus pais tinham me ensinado e esta vida me causava desgosto. Os meus pais falavam de Medjugorje para mim e minha irmã e nos convidavam a participar das viagens que eles organizavam. Eu estava fechado a qualquer convite mas em setembro de 1987 surgiu em mim o desejo de ir lá. Durantte a viagem notei que todas as pessoas do grupo não me agradavam em tudo o que diziam ou faziam. Eles rezavam e cantavam mas logo que cheguei a Medjugorje fui imediatamente tocado… uma multidão interminável chegava da Santa Missa…

No dia seguinte começaram as atividades da peregrinação. Eu olhava para todos os lados e notava que as pesoas tinham um ar de felicidade… entendi que em Medjugorje existia algo de especial. Me sentia atraído e sentia uma presença de um amor que me amava. Comecei a participar das orações com o grupo. Não conhecia, mas aprendi.

Na manhã do dia 15 de setembro, fomos todos para a Via Sacra no Krizevac. No início da caminhada os meus pais convidaram, a quem desejasse, a tirar os sapatos e a subir descalços. Eu olhei para a montanha e pensei: “Estão doidos !!!”. Duas ou três pessoas tiram os sapatos. Surpreso eu pensei em fazer também porque não tinha vindo aqui para não fazer nada.

Começamos a subir. Chegando na XII estação todos se ajoelharam. Também eu me ajoelhei e comecei a chorar não sabendo o porquê. O choro aumentava sempre mais e me perguntava: “O que acontece aqui ? Passei pelas outras estações e não chorei…” Não compreendia mais nada, mas uma pessoa do grupo me fez uma profecia. Ela me disse: “uma pessoa do grupo foi curada da droga e de todo o resto e o Senhor lhe deu agora a graça da conversão extraordinária”. Enquanto estas palavras estavam sendo ditas eu senti em mim uma grande paz e alegria. Imediatamente comecei a agradecer a Deus.

Foi na XII estação que verdadeiramente o Senhor teve piedade de mim. me converteu e me mudou naquele momento. Não compreendi imediatamente, mas depois compreendi a grandeza de Jesus morto na Cruz. Ele é verdadeiramente morto na cruz para nos salvar, para me salvar dos meus pecados.

A partir daquele momento tudo começou a viver em mim. Comecei com todo o coração a seguir os Seus Mandamentos, ouvir a Sua Palavra, rezar para Maria, a por em prática as Suas mensagens. Compreendi que, como o jovem rico, teria que deixar as minhas coisas e seguir Deus. Medjugorje foi para mim uma segunda vida. Eu renasci e a minha fé também. As confissões feitas em Medjugorje me ajudaram muito a me sentir envolvido pela presença de Maria…

Ao voltar de viagem imediatamente fiz aquilo que não achava fácil. Na manhã da minha chegada, fui visitar um dos meus “amigos”. Ele olha a cruz e a medalha em meu pescoço. Vi logo em seus olhos que a nossa amizade tinha acabado. Eu não deveria mais me aproximar dele, seria perigoso para a minha recaída. Se um dia eu quissesse, seria ele que voltaria para mim. Foi uma graça e também uma cruz porque era o meu melhor amigo. Parei também de escutar o rock que me agradava muito. Deixei a minha namorada porque com ela não poderia viver a castidade. Outro duro golpe mas eu não tinha escolha. É importante para mim viver e ler a Palavra de Deus: “felizes os de coração puro, porque verão a Deus”. Eu quero ver Deus e quero o meu coração puro. O Senhor faz maravilhas em minha vida…. Ele me deu um trabalho que gosto muito: sou sacristão na igreja da mina paróquia fazem dez meses. Para mim é algo grande porque primeiro não conseguia ficar em um trabalho mais do que algumas semanas. Que grande graça me fez o Senhor de poder trabalhar em Sua companhia, perto Dele ! Agora eu procuro compreender qual é a minha vocação. Eu sei que onde Ele me quiser lá serei mais feliz. Rezo para perseverar em Seu Caminho. Quando faço algo sem sentido, com a Sua Graça, me levalto.  Agradeço a Deus, diante de vocês, por aquilo que Ele fez e fará por mim. Amém. Aleluia !

STEEVE DALLAIRE (traduz. di Enzo Cobelli, Mantova)

Traduzido do italiano por Gabriel Paulino – fundador do Portal Medjugorje Brasil – www.medjugorjebrasil.com.br

Matéria original: https://medjugorjetuttiigiorni.blogspot.com.br/2014/10/un-giovane-canadese-guarito-alla-xii.html

 

 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *